O Governo Regional dos Açores justificou o cancelamento de oito ligações entre Lisboa-Horta-Lisboa da SATA, em fevereiro e março, devido à “reduzida procura” motivada pela covid-19.

A informação, a que a Lusa teve hoje acesso, foi avançada pelo subsecretário regional da Presidência, em resposta a um requerimento apresentado pelo PS na Assembleia Legislativa Regional.

“Relativamente ao cancelamento de cinco ligações entre Lisboa-Horta-Lisboa, em fevereiro, e de três em março de 2022, os mesmos deveram-se às circunstâncias excecionais e extraordinárias provocadas pelo agravamento da situação pandémica da doença covid-19, nomeadamente a 5.ª vaga, que agravaram a retração generalizada da procura, que é possível atestar pelos baixos níveis de reservas e ocupação dos voos registados desde meados de dezembro” de 2021, refere o subsecretário.

Na resposta, o Governo indica que “foram canceladas quatro rotações no mês de fevereiro (01, 08, 15 e 22) e outras três no mês de março (08, 15 e 22)”.

“Os referidos cancelamentos foram efetuados com uma antecedência que variou entre os 40 e os 19 dias da partida programada dos mesmos, tendo a decisão assentado em dados objetivos de estimativa de procura, sustentados pelos modelos de ‘forecasting’ que a empresa utiliza, e que tem provado a sua adequação”, justifica.

Para “evitar maiores constrangimentos aos passageiros da SATA, bem como evitar custos acrescidos, a Azores Airlines deve sempre efetivar os cancelamentos, com a maior brevidade possível, desde que reunidas condições de previsibilidade da ocupação dos voos”, observa.

O Governo refere que “todos os passageiros afetados pelos cancelamentos foram protegidos em outros voos via Ponta Delgada e/ou Terceira, no mesmo dia da sua viagem planeada”.

“A supressão seletiva de voos com reduzida procura conduz a uma melhoria do índice médio de ocupação do restante conjunto de voos da rota, nomeadamente quando estes últimos tendem a ser voos/datas mais procurados que os selecionados para cancelamento”, acrescenta.

Os cancelamentos, prossegue, “recaíram todos em voos à terça-feira que é, por norma, na globalidade das rotas e mercados que a Azores Airlines opera, o dia da semana com menor procura”.

Quanto ao verão IATA 2022 na rota Lisboa-Horta-Lisboa, “a Azores Airlines planeia operar uma oferta similar à do verão IATA 2019 (ano de referência, por ser o último ano pré-pandemia)”, indica o Governo Regional.

O grupo parlamentar do PS na Assembleia Legislativa dos Açores questionou a 14 de fevereiro o Governo Regional sobre os motivos para o cancelamento de oito ligações aéreas da SATA entre Lisboa e a Horta em fevereiro e março.

Tiago Branco realçou que “os cancelamentos de voos que a Azores Airlines tem feito na ligação entre Lisboa e a Horta se estão a traduzir na desvalorização desta porta de entrada na região” e da “sua importância para esta zona geográfica do arquipélago”.

O deputado socialista manifestou “estranheza com o facto de se estar a aproximar o verão IATA” e de “não haver um planeamento da [SATA] Azores Airlines para esse período tão importante para a economia faialense, que é a época alta”.

Os socialistas solicitam “indicação das taxas de ocupação dos referidos voos no momento em que foram decididos cancelar”.

O PS perguntou ainda ao Governo Regional, de coligação PSD/CDS-PP/PPM, se “não considera que o cancelamento de voos, nalguns casos com mais de um mês de antecedência, prejudica as suas taxas de ocupação”.

“É importante perceber se estas aeronaves previstas para essas ligações estão a ser deslocadas para outras rotas operadas pela Azores Airlines e qual o planeamento da Azores Airlines para o próximo verão IATA na rota Lisboa-Horta-Lisboa.

PUB

Pin It

Angra do Heroísmo

Diário

Ilha Terceira

Startups

Economia

Notícias Regionais

Cultura