Durante a Pandemia do Covid 19, foi o sector do Turismo que, na Terceira mais sofreu.

Quando se chega, como agora, ao tempo da recuperação a ideia que fica é a de que a ilha Terceira está a “ver passar os aviões” entre o Pico e São Miguel.

Marcos Couto está convicto de que o enorme conjunto de problemas que o sector do Turismo da ilha Terceira tem vindo a enfrentar se prende com a ausência de uma identidade clara do produto que temos para oferecer. É nesse sentido que a Câmara de Comércio de Angra tem vindo a trabalhar para que os seus efeitos comecem a revelar-se, o mais tardar, em 2023.

Por outro lado, o responsável pela CCAH, é bem claro ao apontar o dedo à ATA (Associação de Turismo dos Açores)  que, embora sendo uma associação privada é financiada a 100 por cento com dinheiros públicos, pelo péssimo trabalho que tem vindo a fazer na promoção do destino Açores em geral e da Terceira em particular.

PUB

Pin It