O Juiz Efigenio Baptista marcou o regresso do julgamento do Caso das "Dívidas Ocultas "para o dia 17 de Janeiro de 2022

, segundo um despacho por ele exarado que altera a data inicial que previa que a audição de declarantes iria retomar a 6 de Janeiro,.

O julgamento foi interrompido a 13 de Dezembro para o cumprimento da quarentena obrigatória de 14 dias, devido ao registo de casos positivos para a covid-19.

A notificação não indica os motivos do adiamento do retorno do julgamento porém acredita-se que poderá estar relacionado com a precaução relativa a COVID-19, visto que Moçambique tem estado a registar números recordes de casos positivos do novo coronavírus, impulsionado pela nova variante Ómicron.

O julgamento irá retomar com a audição do declarante Zulficar Ahmad, que visa rebater o depoimento do declarante Imran Issa, que teve uma aparição polémica que originou contestação pelo facto de à data dos factos ter sido advogado de António Carlos do Rosário, um dos principais réus deste caso.

O juiz Efigénio Baptista apresentou um novo calendário de audições deste caso com destaque para a data de 17 de Fevereiro de, quando será ouvido como declarante antigo Presidente moçambicano, Armando Emílio Guebuza..

Mas antes, a 11 de Fevereiro de 2022, será ouvido o actual Ministro das Economia e Finanças, Adriano Maleiane, enquanto Victor Manuel Borges, antigo Ministro das Pescas, será ouvido a 8 de Fevereiro, e o dia 10 do mesmo mês está reservado para a audição de Alberto Ricardo Mondlane, que desempenhou as funções de Ministro do Interior.

PUB

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Startups

Economia

Notícias Regionais

Outras Notícias

Saúde

Sociedade

Mundo

Tecnologia