A missão militar conjunta da África Austral em Moçambique (Samim, no acrónimo em inglês) anunciou hoje a destruição de três bases de insurgentes em Macomia e o resgate de 13 pessoas que terão sido raptadas por rebeldes.

As bases dos insurgentes estavam localizadas no norte do lago Nguri e rio Muera, no distrito de Macomia, e foram destruídas durante uma operação em 24 de outubro, indica uma nota da Samim distribuída à comunicação social.

Das pessoas resgatadas durante a operação, oito são mulheres e cinco crianças, acrescenta o documento.

“As vítimas estão sob os cuidados das autoridades nacionais”, refere.

Na mesma operação, segundo o documento, as forças da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) apreenderam uma quantidade de armamento não especificada, entre lançadores RPG-7, morteiros, metralhadoras e rifles.

“As forças da Samim continuam a dominar e perseguir os insurgentes na área, uma vez que estes foram agora desalojados das suas bases principais a sul do rio Messalo e estão a fugir para o norte do rio onde existem outras bases suspeitas”, conclui o documento.

PUB

CONTINUAR A LER

Cabo Delgado, província rica em gás natural, é aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

A ofensiva das tropas governamentais ganhou vigor em julho, com o apoio do Ruanda, a que se juntou depois a SADC, permitindo aumentar a segurança e recuperar várias zonas onde havia presença de rebeldes, nomeadamente a vila de Mocímboa da Praia, que estava ocupada desde agosto de 2020.

O conflito já provocou mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, de acordo com as autoridades moçambicanas.

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Startups

Economia

Notícias Regionais

Outras Notícias

Saúde

Sociedade

Mundo

Tecnologia

Cultura

Desporto