O ex-ministro do Interior de Moçambique Amade Miquidade foi nomeado pelo Presidente da República como Alto-Comissário no Ruanda, anunciou o gabinete do chefe de Estado em comunicado, sem mais detalhes.

O Ruanda está desde julho a apoiar as Forças Armadas e de Defesa de Moçambique (FADM) a combater a insurgência armada em Cabo Delgado, norte do país.

Encontros entre o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e o homólogo ruandês, Paulo Kagamé, têm servido este ano para estreitar relações, vistas com receio pela comunidade do Ruanda residente em Moçambique, que se diz perseguida pelo regime do seu país.

A escolha de Miquidade para representar Moçambique no Ruanda surge depois de o governante ter sido exonerado no dia 09 de novembro, após um ano e nove meses no cargo durante os quais a polícia moçambicana se viu envolvida em vários escândalos.

Entre eles contam-se o envolvimento no homicídio do observador eleitoral Anastácio Matavel, os casos de agentes que engravidaram formandas na escola da polícia e abusos durante a fiscalização das medidas de prevenção da covid-19 que terão resultado em mortes.

PUB

CONTINUAR A LER

A polémica mais recente envolveu o bloqueio policial a um autarca da oposição, Manuel de Araújo, eleito pela Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) em Quelimane, quando organizava um passeio de bicicleta com diplomatas estrangeiros.

Licenciado em Direito pela Universidade Eduardo Mondlane e com passagem pelo Instituto Universitário de Lisboa, Amade Miquidade foi diretor-geral dos Serviços de Informação do Estado (SISE, secreta moçambicana) entre 1991 e 1995 e deputado pelo partido no poder (Frelimo), tendo também ocupado vários cargos no Ministério do Interior.

 

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Startups

Economia

Notícias Regionais

Outras Notícias

Saúde

Sociedade

Mundo

Tecnologia

Cultura

Desporto