O Governo dos Açores, através da Vice-Presidência, determinou a prorrogação, até ao final deste ano, do prazo para as empresas açorianas apresentarem as candidaturas aos apoios estabelecidos no Incentivo Regional à Normalização da Atividade Empresarial (IRNAE) no sentido de poderem continuar a receber apoio financeiro para a retoma gradual do seu funcionamento, com o grande objetivo de apoiar a manutenção do emprego.

O Executivo açoriano, que acompanha desde a primeira hora a evolução da conjuntura económica e dos potenciais impactos na economia da Região da pandemia de COVID-19 à escala mundial, decidiu conceder mais três meses, ou seja, até 31 de dezembro, para que as empresas possam requerer o incentivo disponibilizado pelo Governo Regional.

Segundo um despacho publicado hoje em Jornal Oficial, os requerimentos aos apoios previstos no IRNAE devem ser apresentados por via eletrónica, em https://portaldoemprego.azores.gov.pt.

O IRNAE é um apoio adicional muito significativo para empresas num contexto de retoma do seu funcionamento normal após o Layoff Simplificado, desdobrando-se em duas modalidades.

A primeira modalidade contempla um apoio adicional, no valor de dois salários mínimos regionais, pago ao longo de seis meses, por cada trabalhador em Layoff Simplificado, se a empresa assegurar a manutenção de todos os postos de trabalho durante, pelo menos, mais oito meses, quando a duração do ‘layoff’ da entidade tenha sido igual ou superior a três meses.

Caso a duração do Layoff Simplificado seja inferior a três meses, o montante do apoio é proporcional ao período em que ocorreu o 'layoff'.

No sentido de incentivar ainda mais as empresas a retomar a sua atividade normal, e no âmbito da Segurança Social, é ainda garantido, adicionalmente, a dispensa parcial de 50% do pagamento de contribuições para a Segurança Social a cargo da entidade empregadora, relativa aos trabalhadores em ‘layoff’, até três meses depois, de acordo com o período em que empresa beneficiou do Layoff Simplificado.

O Incentivo Regional à Normalização da Atividade Empresarial prevê ainda a isenção total do pagamento dos encargos da entidade empregadora com a Segurança Social durante dois meses, quando se verificar a criação líquida de emprego nos três meses após a concessão do apoio previsto nesta modalidade.

A segunda modalidade prevê um apoio adicional correspondente ao valor de um salário mínimo regional, pago de uma só vez, por cada trabalhador abrangido pelo Layoff Simplificado, se a empresa assegurar a manutenção do nível de emprego apenas até ao final do ano, tendo como referência a duração do ‘layoff’ da entidade ter sido igual ou superior a um mês.

O Governo Regional considera que, com o IRNAE, estão criadas as condições para as empresas poderem retomar gradualmente a sua atividade empresarial com mais um significativo apoio a fundo perdido, acumulável com todos os outros apoios existentes para que as empresas tenham todas as condições para manterem o seu nível de emprego, e, por conseguinte, os rendimentos dos seus trabalhadores.

 

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Notícias Regionais

Startups

Economia

Outras Notícias

Mundo

Saúde

Sociedade

Motores

Motores

Tecnologia

Podcast