O Vice-Presidente do Governo anunciou que as linhas de crédito criadas para apoio às empresas no âmbito da Covid-19 já permitiram o financiamento de mais de 178 milhões de euros às empresas açorianas.

“Só no âmbito das linhas de financiamento criadas desde o mês de abril foi possível financiar 1.844 empresas regionais, que representam 15.353 trabalhadores, e disponibilizar 178 milhões de euros adicionais às empresas em menos de cinco meses”, salientou Sérgio Ávila.

Destes financiamentos, as empresas na área do comércio beneficiaram de 65,4 milhões de euros, no setor do turismo o montante foi de 32,8 milhões de euros e na área dos serviços ascendeu a 28,7 milhões de euros.

Foram ainda financiados 11,7 milhões de euros no setor da construção e imobiliário, na indústria 8,7 milhões e nos restantes setores de atividade 31 milhões de euros.

De acordo com Sérgio Ávila, para a obtenção destes resultados muito contribuiu a criação da 'Linha Específica Covid-19 - Apoio às Empresas dos Açores', no âmbito da estratégia de ação do Executivo, o que permitiu às empresas açorianas serem as únicas empresas do país a manter o acesso às linhas de crédito de forma imediata, potenciando a sua capacidade de financiamento e criando mais condições para manterem a sua estabilidade financeira e a sua sustentabilidade.

Desta forma, destacou o Vice-Presidente do Governo, o Executivo “conseguiu assegurar que as empresas açorianas tenham mais esta vantagem comparativa face às restantes empresas do país, o que tem sido um forte contributo para a manutenção da sua atividade e para a estabilização da sua capacidade produtiva”.

O apoio às empresas açorianas é ainda mais significativo, frisou Sérgio Ávila, porque o Governo dos Açores, através da criação do Programa de Manutenção do Emprego, irá assumir também a responsabilidade de reembolso desses financiamentos, desde que as empresas mantenham os seus trabalhadores, o que significa que “as empresas açorianas têm mais uma grande vantagem em relação às restantes empresas do país”.

O titular da pasta da Economia destacou que, assim, “a utilização destas linhas de créditos não constitui um aumento do endividamento das empresas a médio prazo, sendo o Governo a assumir esses encargos se as empresas mantiverem o seu nível de emprego”.

“Isto porque o Governo dos Açores irá financiar também, a fundo perdido, as empresas açorianas no momento do amortização dos financiamentos obtidos por estas linhas de crédito”, acrescentou.

Sérgio Ávila relembrou que, desde o início da Covid-19 na Região, o Governo dos Açores já aprovou e implementou mais de 80 medidas excecionais, a maioria de apoio imediato à economia, à manutenção do emprego e do rendimento dos trabalhadores, para fazer face aos constrangimentos provocados por esta pandemia.

“Tem sido um esforço permanente do Governo dos Açores, no atual contexto, a criação das soluções mais eficazes para atenuar os impactos sociais e económicos desta pandemia na Região, por via da injeção imediata de liquidez nas empresas e da manutenção dos postos de trabalho como prioridade absoluta”, afirmou o Vice-Presidente do Governo.

Pin It

Angra do Heroísmo

Notícias Regionais

Ilha Terceira

Economia

Startups

Outras Notícias

Podcast