O vice-presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, nos Açores, defendeu a necessidade de reforço de voos para a ilha Terceira no verão, manifestando preocupação com a chegada de visitantes às festas Sanjoaninas, que arrancam sexta-feira.

“Temos de continuar a insistir junto de quem é responsável pelos transportes, tanto aéreos como marítimos, que de facto nestas épocas – na época das Sanjoaninas e na época de verão – é importantíssimo que os transportes estejam a funcionar como deve de ser e que haja mais voos para a ilha Terceira”, frisou José Gaspar Lima, em declarações à Lusa.

O autarca socialista considerou que deve “ser repensada a política de transportes, tanto para a Terceira, como para o grupo central” dos Açores.

“Quando se ouve que há problemas num barco, que avariou um barco inter-ilhas, e sabemos que da maneira como o transporte marítimo está, falta, ainda por cima, um dos barcos grandes que fazem a ligação de todas as ilhas com o grupo central e com a ilha Terceira, assusta-nos, porque temos de facto muitos grupos de outras ilhas para virem para cá e temos marchas comprometidas. Espero que tudo se resolva, mas isso assusta-nos”, avançou.

A empresa pública de transportes marítimos dos Açores Atlânticoline conta atualmente apenas com um navio de maior dimensão para assegurar a operação de verão, porque o armador do navio “Azores Expres”, que deveria ter chegado à região em maio, rescindiu contrato, obrigando a empresa a fretar outra embarcação, que só deverá chegar à região no sábado, depois de as festas começarem.

Também o ‘ferry’ “Gilberto Mariano”, que faz ligações entre as ilhas de São Jorge, Pico e Faial – e que excecionalmente deveria transportar passageiros para Angra do Heroísmo nas Sanjoaninas – sofreu uma avaria, estimando-se que fique imobilizado até ao final do mês.

Apesar dos constrangimentos nos transportes, o município de Angra do Heroísmo espera uma enchente de turistas e emigrantes nas festas Sanjoaninas, que decorrem de sexta-feira até 30 de junho.

“Pelos dados que temos e pelos contactos que temos feito ao longo destes meses, esperamos de facto uns milhares de turistas, incluindo muitas centenas de emigrantes a visitar-nos durante este período de 21 a 30 de junho”, adiantou José Gaspar Lima.

Segundo o vice-presidente do município de Angra do Heroísmo, à semelhança de anos anteriores, os voos da Califórnia e da costa leste dos Estados Unidos da América (EUA) e de Toronto, no Canadá, têm estado “cheios”.

Para além dos emigrantes que pretendem matar saudades de familiares e da terra onde nasceram, chegam muitos convidados para participar nas festas, como uma banda filarmónica, uma banda de rock e um grupo de forcados dos Estados Unidos.

“É uma aposta que nós temos feito ao longo destes últimos anos, porque trazendo cá grupos de lusodescendentes faz com que levem para lá o que fazem nas Sanjoaninas e entusiasmam muito, de facto, as pessoas que vivem lá”, salientou o autarca.

Em 34 marchas populares, que desfilam em dois dias, chegam também cinco de outras ilhas do arquipélago e uma do continente português.

Durante 10 dias, Angra do Heroísmo celebra o São João com marchas populares, desfiles, espetáculos musicais, tauromaquia, artesanato, exposições, atividades desportivas e gastronomia, entre outras iniciativas.

 

Pin It