O Governo dos Açores vai gastar 6,5 milhões de euros, no período de um mês, com o programa de apoio à liquidez das empresas, na sequência de 1.887 candidaturas aprovadas para mitigar os efeitos da crise provocada pela covid-19.

"Estes números correspondem exatamente às nossas expectativas, tendo em conta que esta medida foi criada para preparar e dar um apoio suplementar às empresas, antes da medida de 'lay-off' e das outras medidas que, entretanto, foram criadas", justificou hoje o vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, em declarações à agência Lusa.

Segundo o governante, até ao final da passada semana, data limite para a apresentação de candidaturas, 1.887 empresários recorreram a este apoio pontual para o pagamento dos salários de 10.741 trabalhadores açorianos, que ficaram impedidos ou condicionados na sua atividade laboral, na sequência da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

"Era uma medida pontual que visava apenas ajudar as empresas que, por imposição do fecho da atividade ou da sua redução substancial, necessitavam de um primeiro nível de apoio, para o pagamento de salários", explicou Sérgio Ávila, recordando que estas ajudas foram depois complementadas com outros programas entretanto criados, como o 'lay-off', por exemplo.

O vice-presidente sublinhou que este apoio à liquidez das empresas da região irá custar aos cofres da região cerca de 6,5 milhões de euros e está incluído no pacote de ajudas anunciado pelo executivo socialista açoriano, no valor de 45 milhões, para compensar a redução abrupta de faturação das empresas, por via das medidas de restrição à atividade comercial.

Sérgio Ávila lembrou que, além destes mecanismos de ajuda, estão abertas as candidaturas ao 'lay-off' e ainda apoios excecionais, previstos para 2021, no montante de 150 milhões de euros, para que as empresas não necessitem de despedir trabalhadores, durante o período de crise que se avizinha.

Portugal regista hoje 762 mortos associados à covid-19 em 21.379 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Até ao momento, foram detetados nos Açores um total de 131 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se 15 recuperados, sete óbitos e 109 casos positivos ativos.

Portugal cumpre o terceiro período de 15 dias de estado de emergência, iniciado em 19 de março, e o decreto presidencial que prolongou a medida até 02 de maio prevê a possibilidade de uma "abertura gradual, faseada ou alternada de serviços, empresas ou estabelecimentos comerciais".

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Notícias Regionais

Startups

Economia

Outras Notícias