A Secretária Regional da Solidariedade Social anunciou, na Terra Chã, ilha Terceira, que o número de beneficiários de Rendimento Social de Inserção (RSI) nesta freguesia sofreu um decréscimo de 23,5% de dezembro de 2018 a junho de 2020.

“Comparando o mês de dezembro de 2018 com junho de 2020, a redução de beneficiários variou nas várias freguesias onde se implementaram os Polos Locais de Desenvolvimento e Coesão Social da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social, sendo que, na freguesia da Terra Chã, a redução neste período foi muito acentuada, cifrando-se em 23,5%”, adiantou Andreia Cardoso.

Andreia Cardoso falava quinta-feira na assinatura de um contrato de cooperação com o Centro Comunitário da Terra Chã para a requalificação do edifício, cerimónia que contou também com a presença do Diretor Regional de Saúde, na qualidade de Coordenador do Polo Local de Desenvolvimento e Coesão Social.

Para a Secretária Regional, “este é um dado muito animador para esta freguesia, que, apesar de dizer respeito ao período temporal anterior à pandemia, é significativo, pois demonstra que houve efetivamente uma redução da dependência de apoios sociais de um considerável número de famílias, certamente resultante de inserção no mercado de trabalho”.

“É um sinal claro de que, apesar de ainda haver muito a fazer, estamos no bom caminho para garantir que o plano de ação desenvolvido na freguesia da Terra Chã para o combate à pobreza e à exclusão social tenha resultados animadores a longo prazo”, acrescentou.

A governante recordou que a freguesia da Terra Chã foi identificada como uma das localidades prioritárias para o desenvolvimento de ações e soluções participadas, por forma a reduzir as suas fragilidades e a aumentar as suas capacidades.

O contrato agora assinado prevê um apoio de cerca de 80 mil euros para a intervenção que visa promover a adaptação e melhoria das condições do edifício para corresponder às exigências funcionais, espaciais e regulamentares atuais, no que concerne ao melhoramento do desenvolvimento das várias valências que funcionam no Centro Comunitário, nomeadamente o Centro de Atividades de Tempos Livres (CATL).

A obra, que tem início previsto na próxima semana, prevê a adaptação de um espaço que permitirá o funcionamento de um Posto de Saúde, que, segundo o Diretor Regional da Saúde, é uma medida para melhorar a acessibilidade da população da Terra Chã às consultas de Medicina Geral e Familiar e de enfermagem.

“Com a criação de um Núcleo de Saúde Familiar, constituído por dois gabinetes médicos e dois gabinetes de enfermagem, vamos conseguir dar resposta a uma das fragilidades identificadas em conjunto com residentes nesta freguesia, possibilitando, assim, a uma grande parte da comunidade, consultas com um médico de Medicina Geral e Familiar, assim como com um enfermeiro, de modo a acompanhar e assistir preventivamente contra doença e em prol da saúde ao longo de todo o ciclo vital”, afirmou Tiago Lopes.

O Diretor Regional destacou ainda que este posto de saúde vai permitir um melhor acompanhamento e vigilância de saúde infanto-juvenil, contribuindo também para o crescimento da realização de exames globais de saúde para as crianças com cinco anos e de 12/13 anos.

Pin It

Angra do Heroísmo