Guido teles, Vereador da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo passa em revista a programação cultural da Câmara Municipal em 2019 e não tem dúvidas de que os diferentes programas, quer para as freguesias, quer para a cidade, têm contribuído de forma muito positiva para a dinamização social e económica do concelho

Na próxima semana abordaremos outros aspectos relacionados com a dinamização económica do concelho de Angra do Heroísmo na segunda parte desta entrevista.

 

IA – Há cerca de um ano traçámos aqui aquele que seria o plano de actividades culturais da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo. Correu tudo como estava previsto?

GT – Em relação à programação cultural parece-me que, no geral, as coisas têm vindo a correr bastante bem.

Quero, com isto, dizer que os objectivos que foram traçados para o ano de 2019 acabaram por ser integralmente cumpridos. As várias celebrações e comemorações que estavam previstos decorreram com normalidade.

O grande objectivo da programação cultural é o de promover uma dinâmica interessante ao concelho contempla uma série de eventos, alguns deles, inseridos em programações específicas, cada uma delas com objectivos bem definidos.

Desde logo uma parte dedicada às freguesias com espectáculos um pouco por todo o concelho com grupos de folclore, filarmónicas, que consideramos eventos muito importantes, não só porque ocorrem na “época baixa”, o que permite que estes grupos possam ter algumas atcuações numa altura do ano em que a procura é escassa e, também, porque assim é possível proporcionar algum rendimento durante a fase em que as solicitações são escassas.

Em 2019 tentámos fazer as coisas de uma forma um pouco diferente envolvendo as Juntas de Freguesia e outras entidades das freguesias tornando-as parceiras para que pudessem dar algum “valor acrescentado” aos eventos programados e que eram financiados pela câmara Municipal.

Quanto a mim foi uma forma muito bem conseguida no sentido de encontrarmos um rumo para estes eventos.

Quanto à cidade de Angra criámos, em 2019, uma série de eventos temáticos paras as diversas salas de espectáculos existentes, o Teatro Angrense e o Centro Cultural. O “Angra com Vida”, quanto a nós, tem vindo a correr bastante bem com muita procura do público. Trouxemos algumas bandas já conceituadas e outras que ainda estão na fase de afirmação a nível nacional. Contudo, para além destes espectáculos que referi, é preciso não esquecer que a nossa aposta principal é dirigida para os artistas locais tendo feito todo um trabalho visando essa finalidade.

No “Angra com Vida” tivemos a preocupação que cada um dos eventos fosse auto sustentável, ou seja, que as receitas de bilheteira conseguissem cobrir, pelo menos, grande parte das despesas.

- Para além do que já referiu 2019 teve outro tipo de eventos mais inseridos na chamada “animação de rua” em determinadas épocas do ano visando fazer confluir pessoas ao centro histórico contribuindo, desse modo, para animar o comércio tradicional da cidade…

- Os ventos que organizámos na altura do Carnaval, no Verão e na programação de Natal Têm demonstrado uma enorme eficácia em termos dos objectivos que referiu na sua pergunta.

Nesses eventos para além de tudo o resto demos às instituições de solidariedade social a possibilidade, com as barraquinhas na Praça Velha, não só das mesmas angariarem fundos para o trabalho que desenvolvem a vários níveis da sociedade, ao mesmo tempo que se constituem como polos de atraccão para a vinda de mais gente ao centro da cidade.

Em conjunto com a oferta musical e a animação de rua, tudo em conjunto, acabou por ser um sucesso que acaba por se constituir como uma mais-valia para o comércio em geral.

Por isso o investimento da Câmara tem vindo a dar frutos o que, creio, é reconhecido por toda a gente.

 

Pin It