A start-up norte-americana Chippin está a inovar no mundo dos alimentos para animais de estimação, com o desenvolvimento de nutrientes altamente proteicos feitos à base de proteína de grilos. O teste correu bem com os cães que experimentaram a nova ração, mas agora a missão é conquistar os donos.

Em 2017, a fundadora da Chippin, Haley Russell, tinha como objetivo começar uma empresa de alimentos para pessoas, usando grilos como base proteica. No entanto, ao fazer um estudo para perceber se as pessoas estavam dispostas a comer os alimentos feitos à base deste nutriente, rapidamente se apercebeu que a ideia não recolhia consenso.

Quando a empresaria fez a experiência com a sua família e amigos o resultado foi o mesmo, à exceção da sua cadela. Com esta experiência, em vez de desistir do projeto, a empreendedora mudou o foco da sua ideia e passou a centrar-se na produção de alimentos para animais de estimação baseados em proteína de grilo, noticia o Inc.

A start-up Chippin lançou os primeiros produtos no final de novembro do ano passado e já vendeu vários milhares de unidades. A empresa tem como objetivo expandir a sua oferta dentro da indústria de alimentos para animais de estimação, que só nos EUA está avaliada em 30 mil milhões de dólares (27 mil milhões de euros).

Uma produção que começou em casa
As cofundadoras da Chippin, Haley Russell e a sua colega de faculdade Laura Colagrande, começaram a fazer experiências com pó de proteína de grilos (insetos secos e pulverizados) e a cozinhar guloseimas para cães na cozinha do seu apartamento. Ao fim de várias tentativas e testes com os cães em parques de recreio, escolher dois sabores: manteiga de amendoim, grilo e abóbora; e outro de maçã, grilo e semente de linhaça.

Durante todo o processo de desenvolvimento, as fundadoras tiveram sempre em mente perceber as reações dos proprietários ao conceito e produto. Os donos assinalaram pontos como cheirar bem, ter bom aspeto e não manchar as mãos. De seguida, foi o processo de criação da embalagem e, posteriormente, a sua apresentação.

Em 2018, a Chippin venceu um concurso de design de produto e recebeu um prémio de 55 mil dólares (49,5 mil euros), o que lhe permitiu aumentar a produção, uma vez que mudar para um fabricante e embalador fora de Chicago. Para o fornecimento a granel do pó de grilo, a empresa optou por um fornecedor canadiano, cuja proteína de grilo que produz tem qualidade para consumo humano e pode ser usada para smoothies, saladas ou outros alimentos.

Desde o seu lançamento em novembro de 2018, a Chippin vendeu vários milhares de unidades, a maioria, 80%, através do site, embora esteja a estabelecer parcerias com diversas empresas “pet friendly” para evangelizar os donos dos animais. A empresa recebeu um financiamento de 45 mil dólares (40 mil euros) da Rough Draft Ventures e do fundo First Round Capital Dorm Room, continuando a receber financiamento.

Pin It