O Diretor Regional da Agricultura afirmou, em Vila do Porto, que a compota de Meloa de Santa Maria, uma inovação agora lançada pela AgroMarienseCoop, vai assegurar um novo valor acrescentado a esta produção emblemática da ilha.

“A iniciativa da AgroMarienseCoop é merecedora de reconhecimento pela inovação que introduz, pela capacidade de aproveitar e rentabilizar os excedentes de produção e a oportunidade que cria para atrair novos clientes e novos mercados para uma fruta tão emblemática em Santa Maria”, salientou José Élio Ventura.

Tradicionalmente, a Meloa de Santa Maria é consumida em fresco e comercializada inteira, mas José Élio Ventura destacou o grande potencial de comercialização da compota de Meloa de Santa Maria, “pelo facto de ter menor custo de transporte, de manter grande parte das caraterísticas do fruto fresco, de necessitar de menor espaço de armazenagem e de promover o aproveitamento da fruta feia, ou seja, da fruta sem condições de comercialização, reduzindo assim o desperdício”.

Para o Diretor Regional da Agricultura, importa continuar a desenvolver, valorizar e promover os produtos agrícolas regionais, reforçar a competitividade e o potencial exportador da fileira dos produtos hortofrutícolas, contribuindo para a implementação de cadeias de valor mais e melhor repartidas em favor dos produtores.

Desde 2015 que a Meloa de Santa Maria é um produto classificado como Identificação Geográfica Protegida (IGP) e, apesar de, nos últimos dois anos, a área declarada no POSEI se ter mantido nos 10 hectares, existe um grande potencial para que esta produção possa crescer.

O Diretor Regional da Agricultura destacou ainda o elevado teor de vitamina C e a riqueza de minerais que compõem as propriedades nutricionais da Meloa de Santa Maria, o que também a distingue da meloa comum, pelo que existe a forte convicção de que este novo produto venha a ser um sucesso comercial.

 

Pin It