A empresa que desenvolve um software de comunicação em redes mesh captou a atenção do fundo alemão innogy Innovation Hub, da EDP Ventures, Caixa Capital, Deutsche Telekom, entre outros investidores.

startup portuguesa HypeLabs fechou uma ronda de investimento de 3 milhões de dólares (cerca de 2,7 milhões de euros), anunciaram os responsáveis esta quarta-feira em comunicado. A operação foi liderada pelo fundo de investimento alemão innogy Innovation Hub e contou com a participação dos portugueses EDP Ventures, Caixa Capital, NovaBase Capital, da empresa alemã Deutsche Telekom, da britânica Mustard Seed e da americana AngelPad.

Fundada em 2016 no Porto, a HypeLabs é uma startup que desenvolve um software de comunicação em redes mesh (rede sem fios em malha, que substiu a que é criada por um router), que funciona com qualquer sistema operativo e canal de transporte, usando o Bluetooth e o Wi-Fi.

“Num mundo onde vemos dispositivos mais conectados e inteligentes nas nossas vidas diárias, é necessário surgirem novos paradigmas de comunicação. O nosso objetivo é conectar todos os dispositivos de forma simples, mesmo em situações previamente impossíveis, construindo redes que se auto configuram, ajustam, aperfeiçoam e protegem. É hora de trazer inteligência para a pilha de rede”, afirmou o presidente Carlos Lei Santos em comunicado.


Com este investimento, a empresa liderada por Carlos Lei Santos pretende fortalecer a equipa, duplicando-a, expandir internacionalmente, procurar novos clientes e focar-se num mercado que considera chave, o da energia.

Atualmente, a startup conta com mais de 2500 programadores que utilizam esta tecnologia e assinou projetos com algumas empresas líderes em setores como o da energia, espaço, entretenimento e organizações não governamentais. Na capital do Zimbabwae, há uma comunidade que está ligada à internet graças à tecnologia da HypeLabs.

Kerstin Eichmann, do Innogy Innovation Hub, explica que “o que torna a HypeLabs especial é que não depende de hardware ou canais de rádio específicos para gerir a rede”. Financiado pela empresa alemã innogy SE, este fundo tem um portefólio de investimentos que ronda os 162 milhões de euros.

FONTE:Ana Pimentel/OBSERVADOR

Pin It