Uma cultura rígida pode ser a força motriz para o sucesso das start-ups, revela uma pesquisa realizada a mais de 800 start-ups apoiadas por capital de risco.

Ao analisar mais de 34 mil pesquisas de funcionários de start-ups, a plataforma bunch.ai, citada pela Forbes, revela três indicadores principais que podem prever se uma start-up se tornará num unicórnio (uma empresa com mais de mil milhões de dólares – 891 milhões de euros), numa sobrevivente (uma empresa apoiada por capital de risco que se torna uma preocupação constante), ou num fracasso.

Quando questionadas se tomam sempre as opções certas, as empresas unicórnio responderam positivamente quase metade das vezes. Porém, 23% das start-ups foram mais propensas a ser um desastre para os investidores.

Para as start-ups, os detalhes podem significar a diferença entre o sucesso e o fracasso. É este o resultado da pesquisa realizada pela bunch.ai. As start-ups que se preocupam com o detalhe apresentaram 21% mais probabilidade de falhar.

Ainda de acordo com o estudo, as start-ups orientadas para os resultados concentram-se em cumprir prazos e compromissos. Este tipo de start-up é 15% mais propensa a transformar-se num unicórnio e tem 20% menos probabilidades de fracassar no mercado.

Teste a sua start-up

Se ficou preocupado com suas hipóteses de sucesso, talvez seja altura de fazer a sua própria pesquisa. Pergunte a si mesmo se a sua organização está alinhada nestas questões importantes:

Irá manter-se fiel aos seus princípios, mesmo que isso custe sucesso a curto prazo? E quais são os principais componentes do sistema valores da empresa?
Faça um gráfico dos principais resultados e processos mais críticos. Qual dos gráficos é mais importante e porquê?
Faça uma lista dos itens que precisam ser incluídos ou retirados da equação: o que está a impedir o desenvolvimento; qual o impacto comercial de atrasar o lançamento do produto até estar perfeito, em vez de avançar agora; consegue gerir as expectativas e viver com as implicações dessa decisão.

Pin It