O programa desafia as empresas a apresentarem projetos de prevenção e recuperação dos impactos das alterações climáticas nas redes elétricas. As inscrições são até ao final deste mês.

Descobrir e apoia ideias inovadoras e que ajudem a combater o impacto das alterações climáticas, é o mote do Startup Challenge, um programa que a Iberdrola anunciou ontem no mercado nacional. Este concurso, cujas inscrições decorrem até ao dia 30 de junho, desafia os empreendedores e a comunidade de start-ups a apresentarem as suas propostas para ajudar combater o impacto das alterações climáticas e dos fenómenos meteorológicos na rede elétrica.

Na origem desta iniciativa está o facto de o aumento da temperatura e os fenómenos meteorológicos adversos constituírem um desafio para as operadoras de redes elétricas devido aos danos e interrupções que podem causar. Nesta medida, a Iberdrola quer avaliar ideias que possam ajudar quer na prevenção de problemas quer na recuperação da própria rede caso esta seja afetada por este tipo de fenómeno.

Planificação, operação, manutenção e engenharia para monitorizar e gerir melhor os ativos elétricos antes de serem danificados, são algumas das áreas abrangidas pelo concurso. A par destas, as ideias a concurso também podem incluir soluções que contribuam para minimizar o impacto da interrupção do fornecimento em residências e empresas.

As soluções propostas deverão implementar tecnologias de vanguarda, tais como big data, analytics e o uso de drones.

O projeto vencedor do Startup Challenge terá a oportunidade de concretizar um teste-piloto, combinando as suas competências com os recursos e conhecimentos de mercado da Iberdrola.

Caso esta fase de piloto seja bem-sucedida, a start-up vencedora poderá tornar-se fornecedora da Iberdrola. Além disso, a através do seu programa de start-ups PERSEO, a Iberdrola avaliará a possibilidade de investir no capital da vencedora.

Agustín Delgado, diretor de Inovação e Sustentabilidade da Iberdrola, lembra que que “uma ótima ideia no papel pode tornar-se rapidamente num elemento-chave da atividade quotidiana de uma empresa, se contar com o apoio e a orientação adequados”.

Por isso, acrescentou, em comunicado, que ajudarão “a concretizar com êxito as ideias numa fase de teste até que estas cheguem à formalização de um acordo de fornecedor. Em última análise, um conceito que melhore os nossos processos pode acabar a ser procurado por empresas de redes elétricas em todo o mundo”.

Pin It