Os estabelecimentos comerciais vão funcionar normalmente nos Açores, na segunda e terça-feira de Carnaval, mas os restaurantes e bares encerram às 15:00 e há proibição de circulação entre as 20:00 e as 05:00, devido à covid-19.

“Tudo continua como estava previsto relativamente à segunda e terça-feira de Carnaval. Quais são as únicas alterações? Os estabelecimentos de restauração, bebidas e similares encerram às 15:00, há proibição de circulação, a não ser nos casos previstos na lei, entre as 20:00 e as 05:00, e há uma proibição de todo o tipo de festividades”, avançou hoje o secretário regional da Saúde dos Açores, Clélio Meneses, em conferência de imprensa.

O governante tinha anunciado, há uma semana, medidas restritivas para travar a transmissão do novo coronavírus, que provoca a covid-19, para o fim de semana que antecede o Carnaval, mas o prolongamento dessas medidas até à terça-feira de Entrudo estava dependente da renovação do estado de emergência.  

Se a Assembleia da República aprovar hoje, como se prevê, a prorrogação do estado de emergência até dia 01 de março, serão aplicadas também medidas de contenção do novo coronavírus na segunda e terça-feira de Carnaval, nos Açores, mas menos restritivas do que as previstas para o fim de semana.

A partir das 20:00 desta sexta-feira e até às 23:59 de domingo serão encerrados todos os estabelecimentos de comércio não-essencial e serão encerrados todos os estabelecimentos de restauração, bebidas e similares, com exceção de ‘take-away’ e serviço ao domicílio.

Estão ainda proibidas, no fim de semana, festividades ligadas ao Carnaval e a circulação na via pública entre as 20:00 e as 05:00, medidas que se prolongam até terça-feira.

“A maioria dos açorianos está a cumprir escrupulosamente com as medidas que têm sido determinadas – daí os resultados que temos – mas também vão chegando notícias de pessoas que se foram preparando para festejar de uma forma mais ou menos pública o Carnaval. Este não é ano para festejar o Carnaval”, justificou Clélio Meneses.

À exceção dos funcionários do setor privado com contratos coletivos de trabalho que contêm uma cláusula que define a terça-feira de Carnaval como um feriado, os restantes trabalhadores não terão direito a dispensa nesse dia.

“Não havendo Carnaval, não se justifica, nem é coerente, conforme o Governo Regional já anunciou, a existência de tolerância de ponto”, frisou o secretário regional da Saúde.

Clélio Meneses sublinhou que os Açores têm atualmente 118 ativos de infeção pelo SARS-CoV-2, quando já chegaram a ter 916 no mês de janeiro, mas apelou ao respeito pelas regras implementadas.

“Estamos claramente numa situação diferente do resto do país, incluindo da Região Autónoma da Madeira. É preciso continuar este caminho, este esforço. Não podemos, de forma alguma, levantar a guarda, para que mais rapidamente se consolide a nossa situação sanitária e, nessa medida, se normalize a vida de cada um”, frisou.

Nos Açores já foram identificados três casos da variante inglesa do novo coronavírus, mas Clélio Meneses desvalorizou esses números, alegando que “isso não implicou um aumento de casos”.

“O comportamento dos açorianos é claramente mais forte do que qualquer variante”, frisou, acrescentando que, se todos cumprirem as regras, “não há variante que entre”.

Apesar da redução de novos casos de infeção, o executivo açoriano decidiu alargar o rastreio iniciado nas escolas da ilha Terceira à ilha de São Miguel.

“Ainda não terminou na ilha Terceira. Já temos mais de 1.800 pessoas testadas neste processo, sem nenhum teste positivo. Vamos também agora alargar aos alunos e, em São Miguel, também se vai fazer essa testagem, a iniciar-se por Rabo de Peixe”, revelou o secretário regional da Saúde.

“É uma forma de conseguirmos controlar e perceber como vai evoluindo, sabendo-se que as escolas são normalmente os meios onde, pelos aglomerados, podem identificar-se surtos”, justificou.

Os Açores contam atualmente com 118 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, sendo 98 em São Miguel, 15 na Terceira, dois no Faial e três em São Jorge.

Desde o início da pandemia, foram detetados na região 3.754 casos de infeção, tendo ocorrido 29 óbitos e 3.504 recuperações.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.355.410 mortos no mundo, resultantes de mais de 107,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.718 pessoas dos 774.889 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Pin It

Angra do Heroísmo