De acordo com a edição de hoje do Jornal Correio dos Açores , Chá dos Açores pode ter efeitos positivos na redução da replicação do novo coronavírus, apontam estudos internacionais.

Professor José Baptista, da Universidade dos Açores 

Doutorado em Química Analítica pela “Columbia University”, nos Estados Unidos da América e Professor da Universidade dos Açores, José Baptista é autor e co-autor de centenas de trabalhos que incidem na área dos produtos naturais e na ciência dos alimentos, sendo actualmente responsável, conjuntamente com a investigadora Lisete Paiva, por um estudo cujo objecto de estudo é o chá dos Açores, cujos benefícios para a saúde humana se têm vindo a comprovar.

Mais recentemente, a dupla de investigadores dedicou-se a analisar os vários estudos que têm vindo a ser desenvolvidos em todo o mundo relativamente ao combate à pandemia, procurando por evidências científicas que comprovem a influência positiva de substâncias naturais que possam impedir a propagação deste vírus enquanto o processo de vacinação a nível mundial não se encontra completo.

Em acréscimo, tendo em conta as descobertas que têm vindo a ser feitas a nível internacional e que iremos identificar nesta reportagem, o grupo de investigação da Universidade dos Açores encontra-se também “a estudar as condições de determinação e quantificação dos componentes da Camellia sinensis com potencial interesse para a saúde humana e, consequentemente, para a redução dos efeitos negativos da Covid-19”, diz José Baptista, referindo por isso mesmo que seria importante continuar esta investigação.

ver mais em : Correio dos Açores

Pin It

Angra do Heroísmo