O primeiro-ministro, António Costa, recomendou hoje a todos os não residentes nos Açores que não viajem para a região, que deixou de suportar os custos destes passageiros obrigados a quarentena em unidades hoteleiras.

Aos jornalistas, o governante, que esteve hoje numa iniciativa no Porto, escusou-se a comentar a decisão do Governo Regional do Açores, repetindo a recomendação que tem vindo a ser feita desde que foram decretadas as quarentenas obrigatórias nos Açores e na Madeira.

"Não quero entrar em quezílias com as autoridades regionais e, portanto, nunca fiz nenhum comentário sobre as decisões que os governo regionais tem adotado. A recomendação que temos feito a todos os não residentes, a partir do momento em que foram decretadas as quarentenas obrigatórias, (...) é que as pessoas não vão, porque senão correm o risco de estarem sujeitos a quarentena obrigatória, independente de estar contaminadas, de terem estado em contacto com alguém infetado ou não", disse.

A partir de hoje, a quarentena obrigatória em unidades hoteleiras imposta pelo Governo dos Açores a todos os passageiros que desembarcam na região, para conter o surto de covid-19, vai passar a ser paga pelos não residentes.

Segundo o comunicado do Governo dos Açores, os passageiros que chegam ao arquipélago e que não sejam residentes nos Açores "podem escolher a unidade hoteleira" onde pretendem realizar a quarentena, de "entre um conjunto de unidades determinadas para o efeito".

A partir de hoje, o executivo regional assumirá apenas os custos da quarentena realizada por residentes.

Confrontado com esta decisão, Costa reiterou aquilo que já vinha a ser dito e voltou a recomendar aos não residentes que não viajem para a região.

"Agora, a partir do momento em que foi anunciado que o Governo Regional deixa de pagar a estadia das pessoas no hotel, a recomendação que eu faço acrescida é: não vão", concluiu.

A Azores Airlines - do grupo SATA - e a Ryanair não estão a operar para os Açores, mas a TAP nunca deixou de voar para a região, mantendo ainda duas ligações semanais para São Miguel e uma para a Terceira.

A partir de 18 de maio e até final do mês, a TAP irá voar duas vezes por semana quer entre Lisboa e São Miguel, quer entre a capital e a ilha Terceira.

A Autoridade de Saúde dos Açores informou hoje que as 253 análises realizadas nos dois laboratórios de referência da região nas últimas 24 horas não revelaram novos casos positivos de covid-19 e que há quatro novas recuperações a assinalar.

Até ao momento, já foram detetados na região um total de 144 casos, verificando-se 75 recuperados, 15 óbitos e 54 casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19.

Destes, 45 são em São Miguel, um na ilha Terceira, dois na Graciosa, um em São Jorge, três no Pico e dois no Faial.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 269 mil mortos e infetou mais de 3,8 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.114 pessoas das 27.268 confirmadas como infetadas, e há 2.422 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Pin It

Angra do Heroísmo