O presidente da Câmara do Corvo afirmou hoje "não haver rotura de bens" na ilha decorrente dos danos provocados no porto da vizinha ilha das Flores, frisando que regressou "a normalidade" após a passagem do furacão "Lorenzo"

“O transporte de mercadorias ao Corvo é feito por via marítima a partir das Flores. Mas, não há nesta altura rotura de bens. E os danos no porto das Lajes das Flores não estão a provocar constrangimentos no abastecimento ao Corvo. Os comerciantes têm sensibilizado as pessoas para levarem [das lojas] o que é normal”, disse José Manuel Silva em declarações à agência Lusa.

O autarca sublinhou que o porto da mais pequena ilha dos Açores "está operacional" e "aberto a navegação", apesar de ter sofrido alguns estragos.

Se for determinado abastecer o Corvo "diretamente a partir do grupo Central”, o porto “está operacional", acrescentou.

Quanto aos estragos materiais provocados pela passagem do furacão “Lorenzo” na quarta-feira, José Manuel Silva adiantou que "os danos maiores já estão identificados", mas "estão a ser contabilizados os custos para reparação".

"Os danos maiores foram no armazém da autarquia e na zona costeira entre o Boqueirão e o Porto novo", explicou o autarca, sublinhando que “a vida já voltou à normalidade, com o regresso aos trabalhos".

Nesta altura, "a limpeza da zona antiga da vila também já está pronta”, assinalou ainda.

A passagem do furacão “Lorenzo” pelos Açores provocou mais de 250 ocorrências e obrigou ao realojamento de 53 pessoas.

 

Pin It