A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo salientou hoje o papel da Associação de Ciclismo dos Açores como “verdadeira parceira na promoção deste produto turístico em expansão no arquipélago”, destacando o projeto Cycl’in Azores, que engloba eventos nas ilhas de São Miguel, Terceira, Faial, São Jorge, Santa Maria e Pico, através de várias provas desportivas.

“O ciclismo e o BTT são apostas do Governo dos Açores no que diz respeito à promoção da Região como destino de natureza ativa, produtos bem definidos no Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores”, frisou Marta Guerreiro, que falava, em Ponta Delgada, na assinatura de um contrato programa com interesse para o desenvolvimento do turismo com o Presidente da Associação de Ciclismo dos Açores.

Para a Secretária Regional, o Executivo "só pode estar ao lado das entidades que espelham e concretizam as opções estratégicas do Programa do Governo, pelo que não podia deixar de apoiar as várias provas desportivas levadas a cabo por esta associação, por aquilo que representam em cada uma das ilhas onde decorrem”.

A Associação de Ciclismo dos Açores realiza o Azores Granfondo, na ilha Terceira, a 28 de abril, o GP Açores/Volta à Ilha de São Miguel, de 17 a 19 de maio, o Azores Airlines Enduro Mountain Bike, em Santa Maria, de 21 a 22 de setembro, e o Azores Mountains Bike Race, nas ilhas do Pico, São Jorge e Faial, entre 10 e 13 de outubro.

“Há, de facto, um grande dinamismo económico associado a cada uma destas provas, o que permite aumentar fluxos e combater a sazonalidade, para além de serem um veículo de promoção privilegiado no conceito de ‘Açores – Certificado pela Natureza’”, reforçou a Secretária Regional.

Marta Guerreiro adiantou que o Governo dos Açores está a desenvolver um projeto de percursos cicláveis, que "já passou pela análise da viabilidade e levantamento de recursos, tendo em vista a conceção de uma rede de percursos cicláveis em todas as ilhas do arquipélago, dotada de infraestruturas de apoio adequadas, semelhante à Rede Regional dos Trilhos Pedestres”.

“No âmbito do levantamento efetuado, foram analisadas todas as ilhas, avaliando o seu potencial para a prática de cada uma das vertentes e disciplinas do ciclismo, tendo sido consideradas todas as questões logísticas, locais de apoio ao praticante, capacidade para instalação de Centros de BTT, definição de zonas privilegiadas para implementação de percursos tendo em conta estradas/caminhos/trilhos públicos disponíveis, análise das áreas protegidas e possibilidade de implementação de percursos, garantindo a sustentabilidade e defesa de zonas sensíveis”, afirmou Marta Guerreiro.

A Secretária Regional acrescentou que os trabalhos efetuados no âmbito deste estudo ficaram concluídos no início deste ano, estando agora a ser analisadas "as possibilidades da sua implementação no terreno, com o apoio das associações locais, já contactadas aquando do levantamento, bem como das Câmaras Municipais e das Juntas de Freguesia”.

Pin It