A direção do Benfica manifestou-se hoje “profundamente indignada” com a ação judicial interposta no Tribunal da Comarca de Lisboa e que visa afastar Luís Filipe Vieira da presidência do clube.

“A Direção do Sport Lisboa e Benfica está profundamente indignada com mais um atentado à dignidade da instituição. Para agredir o SLB, por via judicial, basta ter papel, lápis, advogado e pagar as custas. Como se vê, toda a calúnia pode chegar a Tribunal, mesmo que desprovida de qualquer fundamento”, reagiu o clube, em comunicado.

Em causa a notícia do Expresso de dá conta do processo da autoria do advogado Jorge Mattamouros e que tem como base alegadas violações dos estatutos do clube, supostas irregularidades – fraude no voto eletrónico - nas eleições de outubro de 2020 ganhas por Luís Filipe Vieira, acusado ainda de utilizar o clube para benefício pessoal.

“É tempo, de uma vez por todas, para quem perdeu as eleições aceitar os resultados ditados pelos sócios e respeitar o mandato em curso”, diz o Benfica, que assegura que “o autor desta ação sofrerá todas as consequências patrimoniais e associativas por agredir o Benfica com a única finalidade de se promover”.

PUB

CONTINUAR A LER

Por fim, o Benfica “esclarece” os sócios de que o advogado Jorge Mattamouros é “apoiante e cunhado do candidato derrotado às últimas eleições”, João Noronha Lopes.

Segundo o Expresso, o processo deu entrada no Tribunal da Comarca de Lisboa e é da autoria do advogado Jorge Mattamouros, sócio do Benfica e residente nos Estados Unidos da América.

Presidente desde 2003, Luís Filipe Vieira é o dirigente que mais tempo lidera o clube, tendo sido reeleito para um sexto mandado, até 2024, com 62,59% dos votos, enquanto João Noronha Lopes teve 34,71%, no ato eleitoral mais participado de sempre na instituição, com mais de 38 mil votantes.

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Startups

Economia

Notícias Regionais

Outras Notícias

Saúde

Sociedade

Mundo

Tecnologia

Cultura

Desporto