Este é um streamer com amplificador integrado, que na prática é só juntar-lhe um par de colunas passivas e está montado um pequeno sistema hi-fi

Graças ao streaming os hábitos de "consumo" de música mudaram para a maioria das pessoas, o atual ritmo acelerado da vida deixa pouco tempo livre para audições dedicadas, e a facilidade proporcionada pelos smartphones em conjunto com os auriculares, ou ainda as omnipresentes colunas bluetooth convidam à facilidade em detrimento da qualidade. Nem tudo está perdido e os próprios serviços de streaming tentam diferenciar-se através do apelo da música em alta resolução, e até o ubíquo Spotify já anunciou que irá ter uma versão Hi-Fi com qualidade de cd.

A verdade é que a maioria das pessoas quer soluções simples para ouvir a sua música, e para o fazer com qualidade, nada como experimentar o Bluesound Powernode 2i. Trata-se de um streamer com amplificador integrado, que na prática é só juntar-lhe um par de colunas passivas e está montado um pequeno sistema hi-fi. Os 60 W do amplificador hibrido/digital são suficientes para poder ser utilizado com um vasto leque de colunas, e o DAC integrado é capaz de lidar com resoluções até 32-bit/192kHz. Isto na prática significa que a melhor forma de tirar partido dele será com serviços de streaming, recomendamos o Spotify ou o Tidal, ambos com a função "connect" em que o próprio aparelho se liga diretamente ao serviço, não ficando "pendurado" no smartphone, tablet ou pc para enviar a música para o Bluesound.

O Spotify por enquanto só tem disponível como qualidade máxima na subscrição premium música em mp3/320 kbps, abaixo do CD (1,411 kbps), mas que ainda assim beneficia de muitos utilizadores graças ao seu extenso catálogo. Os mais exigentes no que toca à qualidade sonora, têm na assinatura HiFi do Tidal a possibilidade de ouvir música no formato FLAC/1,411 kbps igual ao CD, e também novo formato MQA (Master Quality Autenticated), superior ao CD com resoluções que podem ir até aos 24bit/192kHz.

Dos inúmeros serviços de streaming, temos de destacar uma rádio que passou a estar disponível no formato MQA em exclusivo para BluOS, o sistema operativo do Bluesound. A Radio Paradise emite para a internet a partir de Paradise, Califórnia nos EUA, é gratuita, e não tem publicidade sendo 100% financiada pelos ouvintes através das suas contribuições. Os anfitriões Bill e Rebecca Goldsmith disponibilizam três streams de géneros musicais distintos: "Mellow", "Rock" e "World". São todos de um extremo bom gosto, e até um pouco ecléticos, por vezes.

Contudo, os fãs do analógico podem ficar descansados porque é possível ligar um pré-amplificador de phono para poder ouvir os discos de vinil. Há ainda uma entrada USB e duas Toslink 3.5mm ótica digital. Já as saídas contam com um rca para subwoofer e outra jack 3.5mm para auscultadores. Como não poderia deixar de ser, o Powernode 2i está perfeitamente equipado para a gestão de música em diversas divisões da casa, bem como fazer uso das tecnologias sem fios. É possível ligá-lo à internet/rede por wi-fi, mas nós preferimos com cabo de rede por uma questão de consistência da ligação para ouvir música em alta resolução. O AirPlay 2 e o Bluetooth também não foram esquecidos, e o codec aptX HD garante uma reprodução de alta qualidade em auscultadores sem fios.

O Powernode 2i pode ser controlado de várias formas, entre elas através de comandos com a Amazon Alexa ou com Google Assistant, há, inclusivamente um painel com os comandos básicos de play/pause, mudar de faixa e volume no topo do aparelho, mas a melhor forma de o fazer é através da app disponível para iOS, Android, Mac e PC. O mais prático será mesmo num dispositivo móvel, smartphone ou tablet, para uma experiência mais cómoda a partir do sofá. Uma vez instalada, para começar a ouvir música é preciso inserir os dados de acesso aos serviços de streaming que subscreveu. Partindo do princípio que a subscrição é do Spotify ou do Tidal, já seria o suficiente para ouvir música durante anos a fio, mas se por acaso tiver uma coleção extensa de CD, e perdeu o seu tempo a fazer um backup para o formato FLAC num disco externo, ou de rede (NAS), é só configurar o acesso, iniciar o scan à biblioteca e começar a ouvir os seus álbuns preferidos.

Tendo já experimentado vários streamers ao longo do tempo, chegámos à conclusão de que independentemente dos atributos sonoros, a utilização de um aparelho destes é tão boa quanto a experiência da utilização da interface que interage com ele, e nisso, a app desenvolvida para o BluOS destaca-se. É rápida, a navegação é intuitiva, permite criar playlists, adicionar favoritos, mostra as capas dos álbuns, mostra informação sobre o que se está a ouvir ligando-se à base de dados da Last.fm, enfim, é para nós a melhor experiência, sendo apenas suplantada pelo software Roon que exige uma subscrição de $120/ano, ou $700 para sempre.

No nosso teste ligámos o Powernode 2i a um par de colunas monitoras Triangle Borea BR03, e mal pusemos alguma coisa a tocar pensámos que não seria possível um conjunto abaixo dos mil euros soar assim tão bem quase sem "rodagem". Ao escutar o álbum de 2020 An Evening of New York Songs and Stories de Suzanne Vega, foi possível captar toda a intimidade e ambiência do Café Carlyle, em Nova Iorque onde foi gravado. Dá para perceber ainda a pequena dimensão do local, mas ainda assim a separação dos instrumentos é clara, bem como a maturidade da voz de Suzanne Vega, diferente de quando gravou o Solitude Standing, com apenas 27 anos. Efetivamente, estamos perante uma verdadeira peça de Hi-Fi, apesar do seu aspeto despretensioso, é uma pena termos demorado a descobri-lo.

Preço: 929 euros

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Startups

Economia

Notícias Regionais

Outras Notícias

Saúde

Sociedade

Mundo

Tecnologia

Cultura

Motores

Desporto