António Costa anunciou que "os números que serão divulgados daqui a pouco (...) praticamente chegarão de novo aos 10 mil casos".

 

AS MEDIDAS PARA O PRÓXIMO FIM DE SEMANA

 

A maioria dos concelhos do continente português, com exceção de 25, vai ter, no próximo fim de semana, proibição de circulação entre municípios e recolher obrigatório entre as 13:00 e as 05:00.

O Governo decidiu "estender as regras atualmente em vigor" no combate à pandemia no território continental, no âmbito do novo estado de emergência, determinando ainda uma "medida cautelar" no próximo fim de semana para os concelhos com maior risco.

O primeiro-ministro explicou que essa medida inclui a proibição de circulação entre concelhos e o recolher obrigatório a partir das 13:00 e até às 05:00 do dia seguinte durante o próximo fim de semana, medidas que se aplicam nos concelhos com mais de 240 novos casos de covid-19 por 100 mil habitantes.

"Só não se aplicam em 25 concelhos, em que o número de novos casos é inferior a 240", revelou António Costa.

Os 25 concelhos que se encontram no nível de risco moderado, com menos de 240 mil casos de infeção por 100 mil habitantes acumulados a 14 dias, são Alcoutim, Aljezur, Almeida, Arronches, Barrancos, Carrazeda de Ansiães, Castanheira de Pêra, Castelo de Vide, Coruche, Ferreira do Alentejo, Freixo de Espada à Cinta, Lagos, Manteigas, Monchique, Odemira, Pampilhosa da Serra, Proença-a-Nova, Resende, Santiago do Cacém, Sardoal, Sernancelhe, Sines, Torre de Moncorvo, Vila de Rei e Vila do Bispo.

“Cada dia pode contar”, afirmou o primeiro-ministro, referindo que “pode ser útil não esperar por dia 15 para tomarmos novas decisões e que possam ser tomadas na sequência do que se vier confirmar a dia 12”.

 

 

COSTA AFASTA NO IMEDIATO SUSPENSÃO DA ATIVIDADE LETIVA NAS ESCOLAS

 

O primeiro-ministro descartou ainda avançar no imediato com a suspensão da atividade letiva nas escolas devido à evolução negativa da pandemia, mas admitiu medidas mais restritivas a partir da próxima semana.

"Há um grande consenso hoje entre os técnicos e os especialistas de que não se justifica afetar o funcionamento do ano letivo. Não devemos ter medidas que impliquem, como adotámos no ano letivo passado, a interrupção da atividade letiva", afirmou o chefe do Governo.

António Costa adiantou também que vai ouvir os parceiros sociais e os restantes partidos políticos sobre a hipótese da adoção de medidas mais restritivas. Questionado sobre o cenário de um novo confinamento, rejeitou antecipar medidas e assinalou a sua "esperança" de que o aumento de casos dos últimos dois dias não se prolongue até à próxima semana.

"O que temos feito até agora é fazer incidir as medidas sobre o fim de semana; um passo em frente significa estender ao resto da semana esse tipo de medidas, portanto, adotar medidas de confinamento mais geral, do tipo que adotámos em março passado. Não queria estar a antecipar medidas, como a esperança é a última a morrer, devemos ter a esperança de que os números de ontem e hoje sejam ainda um ajustamento do período que vivemos nas últimas semanas e que os dados daqui até dia 12 não confirmem esta evolução. Se o confirmarem, é necessário fazer o que é necessário fazer", vincou.

Pin It

Angra do Heroísmo