Entrevista de Nayomi Santos

Os ataques atribuídos a insurgentes, em Cabo Delgado, norte de Moçambique, desestruturam famílias e colocam milhares de pessoas numa situação vulnerável, diz em entrevista à VOA o padre católico Latifo Fonseca.

O padre da Diocese de Pemba explica que “as pessoas não têm tempo de estar entre elas, existe separação de famílias, não há condições para a educação”.

Há pouco tempo “ainda se pensou que mesmo o recenseamento eleitoral não foi abrangente,” diz o religioso baseado em Pemba, capital de Delgado, que acompanha a situação nos distritos afectados.

Os ataques iniciaram em Outubro de 2017 e mais de 200 pessoas foram mortas. Os seus mentores ainda não disseram publicamente as suas motivações.

Várias pesquisas têm sido feitas sobre a situação, mas ainda não há consenso quanto às eventuais causas, que incluem extremismo islâmico, reivindicação ou disputa de recursos naturais.

Intelectuais pedem mais estudos para clarificar a situação.

De momento, o que é claro é o ambiente de medo que os ataques criam na população de Cabo Delgado.

Acompanhe a conversa que Nayomi Santos teve com o padre Latifo Fonseca, da Diocese de Pemba:

Pin It