O Presidente moçambicano, Filipe Jacinto Nyusi e o líder da Renamo, Ossufo Momade, concordaram ter chegado “o momento de cessação definitiva de hostilidades militares e, consequentemente, a assinatura do Acordo de Paz e o início imediato da reintegração, na sociedade, dos guerrilheiros” daquele partido no oposição.

Nyusi e Ossufo comprometeram-se a assinar o acordo em Agosto, num encontro realizado no domingo, 2, na Cidade de Chimoio, província de Manica.

Os dois líderes reajustaram o cronograma, que inclui agora o regresso e a reintegração dos guerrilheiros da Renamo para o mês de Julho e ainda acordaram iniciar a preparação de uma conferência internacional para a mobilização de fundos para a reintegração dos antigos guerrilheiros.

Por agora, o embaiador da União Europeia em Moçambique, António Gaspar, anunciou que o bloco vai mobilizar cerca de 50 milhões de dólares, para apoiar o processo de desmilitarização da Renamo.

Pin It