Os Açores registaram três casos de pessoas recuperadas que voltaram a testar positivo para o novo coronavírus, e que se vão manter em quarentena, apesar de não serem considerados contagiosos, anunciou hoje a Autoridade de Saúde Regional.

Na sua comunicação diária, o responsável máximo pela Autoridade de Saúde Regional, Tiago Lopes, avançou que foram detetados na região três casos recuperados que voltaram a acusar positivo para o novo coronavírus, explicando que a “evidência científica” mostra que “é possível que [a positividade] seja explicável por alguma remanescência do vírus ainda nas vias aéreas superiores e que é detetável (…), mas que não se considera contagioso”.

“Apesar de não se considerar contagioso, nós, indo ao encontro do nosso excesso de zelo (…), nestes casos (…), estamos a dar indicação às pessoas para permanecerem em vigilância ativa mais 14 dias”, prosseguiu.

A Autoridade de Saúde esclareceu à Lusa que a vigilância ativa se aplica a todos os casos recuperados e que aqueles que voltam a testar positivo devem manter-se em quarentena.

Esses casos continuam, no entanto, a ser contabilizados como recuperados, “até porque são pessoas assintomáticas, continuam sem dar qualquer sinal de infeção” e porque “poderá haver algum remanescente do RNA do vírus, que é detetado a nível laboratorial, mas que não é suficiente para contagiar outros indivíduos”, adianta o também diretor regional da Saúde.

Tiago Lopes explicou que “são considerados casos recuperados na região, contrariamente ao que é feito em território continental, quando um caso positivo faz o seu período de tratamento de recuperação e, por via de sucessivos testes que são realizados para despistes, passados 14 dias [de recuperação] e 3 dias sem sintomas de infeção, são, cumulativamente, conseguidos dois resultados negativos”.

O responsável destacou que, com a recuperação registada hoje na Terceira, extingue-se a segunda cadeia de transmissão identificada nesta ilha, que ficou hoje sem nenhum caso positivo ativo.

Assim, a região tem ainda uma cadeia de transmissão no Pico, que infetou cinco pessoas e mantém três casos ativos, e duas em São Miguel, sendo uma delas uma cadeia primária que originou dois casos, um deles ainda ativo, e a outra a cadeia originária na Povoação, com desenvolvimentos em Ponta Delgada e no Nordeste, que envolveu 74 casos positivos, disse Tiago Lopes.

Sobre o caso positivo identificado hoje em São Miguel, o diretor regional adiantou que se trata de um homem que foi testado “no âmbito do rastreio que está a ser realizado, em que se incluem todos os que chegam à região e fazem quarentena”.

O homem de 35 anos que viajou do continente para a região “estava a cumprir a sua quarentena, excecionada em contexto domiciliário”.

“Já procedemos à identificação dos contactos próximos deste caso positivo”, garantiu o responsável.

Até ao momento, já foram detetados nos Açores 145 casos, verificando-se 83 recuperados, 15 mortes e 47 casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, sendo 39 em São Miguel, dois na Graciosa, um em São Jorge, três no Pico e dois no Faial.

Pin It

Angra do Heroísmo