Investimentos têm sido ameaçado com ataques de insurgentes cada vez mais próximos

A multinacional francesa Total, com mega-projecto de gás natural na ilha de Afundi, tem visto ataques de insurgentes aproximarem-se cada vez mais do seu investimento na província moçambicana de Cabo Delgado.

Aliás, a empresa tem neste momento as operações paradas após ataques dos insurgentes, tendo retirado os expatriados para fora da área e enviado aos trabalhadores locais para casa.

O presidente-executivo da Total, Patrick Pouyanné reuniu-se recentemente com o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, para discutir a intensificação da insurgência ligada ao Estado Islâmico no norte do país, que tem afectado o investimento da companhia francesa de 20 biliões de dólares na extração de gás natural.

Adianta-se que Mayote, a 500 quilómetros de Pemba, possui um porto de águas profundas, um hospital functional, base naval e um destacamento permanente da Legião Estrangeira Francesa.

O projecto no entanto enfrenta alguns problemas como uma pista de aterragem curta e o facto de alguma empresas que trabalham para a Total em Moçambique não quererem mudar as suas operações para Mayote devido aos custos onorosos de tal opção.

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Notícias Regionais

Startups

Economia

Outras Notícias

Mundo

Saúde

Sociedade

Motores

Motores

Tecnologia

Podcast