De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortos subiu de 2.997 para 3.082, enquanto os infetados com o vírus da covid-19 passaram de 95.201 para 99.062.

O número total de doentes recuperados aumentou de 38.075 para 39.085.

O norte de África mantém-se como a região mais afetada pela doença no continente, com 1.522 mortos, e 31.232 infetados com a covid-19.

A África Ocidental regista 578 mortos e há 27.168 infeções, enquanto a África Austral contabiliza 389 mortos, tendo ultrapassado os 20 mil casos (20.616), quase todos concentrados num único país, a África do Sul (19.137).

Seis países – África do Sul, Argélia, Egito, Marrocos, Nigéria e Gana - concentram cerca de metade das infeções pelo novo coronavírus no continente e mais de dois terços das mortes associadas à doença.

O Egito é o país com mais mortos (696) e mais de 15 mil casos (15.003), seguindo-se a Argélia, com 575 mortos e 7.728 infetados.

A África do Sul é o terceiro com mais mortos (369), continuando a ser o país do continente a registar mais casos de covid-19, com 19.137 infetados.

Marrocos totaliza 196 vítimas mortais e 7.211 casos, a Nigéria tem 211 mortos e 7.016 casos, enquanto o Gana tem 31 mortos e 6.486 casos.

Entre os países africanos lusófonos, a Guiné-Bissau é o que tem mais infeções, com 1.109 casos, e regista seis mortos.

Cabo Verde tem 356 infeções e três mortos e São Tomé e Príncipe regista 269 casos e 11 mortos.

Moçambique conta com 162 doentes infetados e Angola tem 60 casos confirmados de covid-19 e três mortos.

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), mantém há vários dias 719 casos positivos de infeção e sete mortos, segundo o África CDC.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro e a Nigéria foi o primeiro da África subsaariana, em 28 de fevereiro.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 330 mil mortos e infetou mais de cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.

Pin It

Angra do Heroísmo

Notícias Regionais

Ilha Terceira

Economia

Startups

Outras Notícias

Mundo

Cultura

Saúde

Sociedade

Motores

Tecnologia

Música

Desporto

Podcast