Mercedes SLC é uma das propostas mais interessantes ao nível dos coupé/roadster compactos e é um best-seller no seu segmento. Contudo, no ano passado só foram vendidas sete mil unidades na Europa, um número pouco expressivo, que leva a marca alemã a pensar duas vezes antes de dar luz verde ao investimento para o desenvolvimento do seu substituto.

A procura de automóveis descapotáveis tem caído na Europa. É um fenómeno que se tem agudizado nos últimos anos. Para reduzir custos de desenvolvimento temos vindo a assistir ao aparecimento de parcerias como a estabelecida entre a Mazda e a Fiat para a produção do MX5/124 Spider ou o futuro BMW Z4/Toyota Supra, que deverá surgir no próximo ano.

Quem não opta por este caminho põe em causa a continuação de modelos como o caso do Audi TT Roadster que, segundo vários órgãos de Comunicação Social alemães, pode ter os dias contados, o mesmo acontecendo com o Porsche 718 Boxter, que apenas vendeu 4.800 exemplares no mercado europeu durante o último ano.

A questão do futuro do SLC da Mercedes saltou para as notícias depois de Tobias Moers, o patrão da AMG ter admitido à "Digital Trends" que o modelo tinha um futuro incerto, referindo que se a questão não se colocava face ao imponente SL a questão é mais do que pertinente face ao reduzido volume de vendas do SLC.

Pin It

Angra do Heroísmo

Notícias Regionais

Ilha Terceira

Economia

Startups

Outras Notícias

Mundo

Cultura

Saúde

Sociedade

Motores

Motores