O Diretor Regional da Ciência e Tecnologia afirmou hoje, em São Miguel, que o combate à exclusão digital e às desigualdades de acesso à comunicação digital “não passa apenas pela disponibilização de computadores, pelo acesso à Internet ou mesmo por garantir o uso dos vários recursos tecnológicos, mas, sim, e sobretudo, por disponibilizar meios e ferramentas adequados e apropriados para a aquisição de competências digitais, mais ainda quando se trata de cidadãos com necessidades especiais”.

Bruno Pacheco falava durante uma visita à Escola EB1/JI Madre Teresa d'Anunciada, na Ribeira Seca, concelho da Ribeira Grande, uma das beneficiárias da medida de apoio à aquisição de equipamentos e software na área das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para cidadãos com deficiência.

Ao abrigo desta medida, durante esta legislatura já foram apoiados cerca de uma centena de cidadãos açorianos e mais de 30 entidades, num investimento superior a 200 mil euros.

“As tecnologias são o garante de uma melhor qualidade da aprendizagem de cidadãos com deficiência”, afirmou o Diretor Regional, acrescentando que “a inclusão digital é uma das formas mais eficientes de facilitar e simplificar o dia a dia dos cidadãos, quer ao nível pessoal, quer ao nível profissional, ao mesmo tempo que proporciona novas oportunidades de aprendizagem”.

Bruno Pacheco sublinhou que o Governo dos Açores, através da Direção Regional da Ciência e Tecnologia, tem vindo implementar “várias medidas que promovem a inclusão digital, com o intuito de garantir a verdadeira democratização do acesso às TIC, de forma a permitir a inserção de todos na sociedade da informação”.

O Diretor Regional frisou que, no âmbito da aposta do Executivo açoriano na promoção da inclusão digital, “estão abertas outras linhas de financiamento, como é o caso da medida para apoio à criação de Oficinas de Competências Digitais, lançada no início desta semana, que privilegia a formação digital de grupos populacionais em risco, com vista a estimular e reforçar competências digitais na formação de adultos e na aprendizagem ao longo da vida, contemplando não só as competências básicas como outras mais avançadas”.

No ano passado, o Governo dos Açores criou a iniciativa PRO-TIC, que integra quatro medidas, entre as quais 'Apoiar a aquisição de equipamentos e software na área das TIC para cidadãos com deficiência', que visa, especificamente, o apoio à aquisição de equipamentos informáticos, incluindo periféricos adaptados e ou software específico, para utilização por alunos e cidadãos com deficiência.

 

Pin It

Angra do Heroísmo

Ilha Terceira

Notícias Regionais

Economia

Startups

Outras Notícias

Saúde

Sociedade

Tecnologia