Preservação e promoção do património da Praia da Vitória
“À Noite na Praia – Quatro Estações” é nome da mais recente atividade cultural que visa celebrar lugares simbólicos da cultura e história da Praia da Vitória, aliando conversa, música e festa a uma reflexão que recorde o passado e projete o futuro.

A iniciativa, apresentada esta sexta-feira, 28 de fevereiro, pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Carlos Armando Costa, resulta de uma parceria com o Instituto Açoriano de Cultura (IAC), e pretende “a promoção da preservação do património imaterial da Praia da Vitória”. 

O Clube de Oficiais da Base Aérea n.º 4, o Império das Figueiras do Paim, o Claustro da Igreja da Misericórdia e a Casa Vitorino Nemésio são os lugares simbólicos a serem celebrados. O primeiro deles, marcando a abertura destas atividades e antecipando a Primavera, foi escolhido para se falar do “Jazz na Praia”.

O autarca praiense diz que “já há algum tempo que se pensava realizar uma atividade que destacasse o património imaterial da cidade” e que o tema “Jazz na Praia”, relacionado com as presenças britânica e americana na Base das Lajes, cinge-se, sobretudo, com “o impacto social e cultural que estes tiveram na nossa cultura”.
Foi escolhido o Clube de Oficiais da Base Aérea n.º 4 para acolher a conferência de José Ribeiro Pinto e a atuação dos Wave Jazz Ensemble, ambas agendadas para o dia 07 de março, pelas 21h00, exatamente pela memória das festas que ali se realizaram durante várias décadas, muitas vezes ao som do jazz.

Para o Verão, escolheu-se o Império das Figueiras do Paim e o tema da solidariedade aliado às festas que caracterizam o Espírito Santo e os Bodos, para, por um lado, se refletir sobre a solidariedade e, por outro lado, se celebrar uma tradição que há vários séculos a toma como prática e que é indissociável da identidade açoriana, ao mesmo tempo que haverá oportunidade de degustar algumas especialidades da culinária terceirense.

No Outono, a atividade decorrerá no Claustro da Igreja da Misericórdia da Praia da Vitória, onde se irá conversar sobre a importância dos claustros, ao mesmo tempo que abordará a presença espanhola na ilha e as suas influências na cultura do povo terceirense, bem como este duplo sentido de deambulação e de presenças, que evidenciam outra marca da cultura açoriana, a da abertura ao outro e ao mundo.

Para o Inverno, o lugar simbólico a ser celebrado será a Casa de Vitorino Nemésio, com o tema “A Literatura e a Utopia”, onde se falará sobre o próprio escritor Vitorino Nemésio, mas também de Almeida Garrett, que é também uma figura indissociável da história da Praia da Vitória. Dois escritores maiores que refletiram sobre a liberdade em épocas em que ela ainda não tinha a expressão que tem hoje, modo também de o município se associar à celebração do bicentenário do liberalismo que, recorde-se, teve grande impacto na ilha Terceira.

Mais tarde serão divulgadas as novas informações sobre a data, o horário, o local e os participantes dos encontros de Verão, do Outono e do Inverno.

Carlos Armando Costa acrescenta ainda que esta atividade se trata de “um primeiro passo para a realização de eventos deste género no futuro e que servirá de base para se analisar a sua recetividade e modelo organizacional”.

Pin It

Angra do Heroísmo

Notícias Regionais

Ilha Terceira

Economia

Startups

Outras Notícias

Mundo

Cultura

Saúde

Sociedade

Motores

Tecnologia

Música

Desporto

Podcast